CAIXA vai financiar até 70% dos imóveis usados.

A Caixa Econômica Federal que em maio de 2015 reduziu o percentual de financiamento para imóveis usados ao patamar de 50% do valor do imóvel, resolve aumentar esse patamar para 70% do valor pelo sistema SBPE.
Agência da CEF
Agência da CEF

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira (8) medidas para tentar facilitar a compra da casa própria, em meio à falta de crédito no mercado. As principais mudanças são:

  • Liberação de R$ 7 bilhões para a linha chamada de Pró-cotista

Essa linha de crédito financia até 85% do valor do imóvel novo ou usado (para imóveis de até R$ 750 mil), em até 30 anos, com taxa de juros entre 7,85% e 8,85% ao ano.

Esse financiamento usa recursos do Programa Especial de Crédito Habitacional ao Cotista do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Para contratar, é preciso ter conta ativa no FGTS e Continuar lendo

Anúncios

Financiamento imobiliário.

Atualmente comprar um imóvel residencial financiado é uma operação delicada e que requer um pouco de paciência, tanto do comprador quanto do vendedor. Ainda assim, é bem mais fácil do que anos atrás, quando o crédito para o setor imobiliário era escasso e de difícil acesso.

Todo o processo é burocrático e requer bastante documentação das partes envolvidas, e também do imóvel. Esse trâmite tem o único propósito de proteger as partes envolvidas e evitar um futuro entrave judicial.

“O processo de transação imobiliária é um pouco mais demorado e oneroso, por causa da necessidade de apresentação de certidões. Mas os bancos são capazes de analisar as condições de crédito do cliente rapidamente”, diz o superintendente da Associação Brasileira de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), José Pereira Gonçalves.

O primeiro passo para o comprador é pesquisar através dos sites de simulações qual instituição financeira possui as melhores condições para o financiamento pretendido e assim ele terá ideia do valor do financiamento que caberá em seu bolso e então poderá escolher o imóvel pretendido. Para a simulação são necessários apenas alguns dados básicos: se o imóvel é novo ou usado, residencial ou comercial, qual a idade do participante mais velho, qual o valor do imóvel, em qual prazo pretende fazer a amortização e qual o valor a ser dado como sinal (incluindo o FGTS, se for o caso).

É bom salientar que o FGTS pode ser utilizado para a compra ou amortização de financiamento em determinados casos, para saber mais sobre o uso do FGTS, clique aqui.

Atualmente a regra do financiamento estabelece que o valor da prestação mensal não deverá ser superior a 30% da renda familiar ou dos compradores, o valor a ser financiado pode ser de até 100% do valor e os prazos estende-se até 35 anos (dependendo do tipo de financiamento).

As menores taxas de juros podem chegar a 5% e são oferecidas na modalidade Carta FGTS que tem alguns requisitos extras: renda não superior a R$ 5.400,00 e imóvel de valor até R$ 170.000,00 para S.Paulo, Rio de Janeiro e DF. Já para financiamentos de imóveis com valor superior ao estipulado na Carta FGTS, o meio mais utilizado é a Carta de Crédito SBPE ou Pró-Cotista caso o requerente tenha ao menos 3 anos de conta ativa de FGTS ou o equivalente a 10% do imóvel financiado.