ALUGAR ou FINANCIAR?

As facilidades proporcionadas pelo governo na compra pela casa própria têm aumentado cada vez mais. Porém, é preciso ficar atento antes de optar em dar o primeiro passo em um financiamento.

Embora muitos classifiquem o investimento em um aluguel como ‘dinheiro jogado fora’, ele também tem suas vantagens e pode ser mais vantajoso em algumas ocasiões.

Embora muitos classifiquem o investimento em um aluguel como ‘dinheiro jogado fora’, ele também pode ser mais vantajoso em algumas ocasiões (Fotos: Banco de Imagens / Think Stock)

O gerente de estratégia da APSA, que atua gestão de condomínios e negócios imobiliários, Rogério Quintanilha, aponta que cada pessoa faça uma análise pessoal do seu estilo de vida e veja qual o melhor modelo de moradia para cada caso.

“É uma escolha entre ser inquilino do banco [pessoa jurídica] ou de um proprietário [pessoa física]“, afirma.

Quintanilha ainda simulou uma situação para mostrar quando o aluguel é mais vantajoso. Segundo ele, em um imóvel de R$ 400 mil, o valor de aluguel é de, em média, 0,5% do total (R$ 1,9 mil). Em 360 meses (prazo mais comum entre os financiamentos), isso geraria um gasto de R$ 702 mil.

Já no financiamento, um bem com o mesmo valor, teria uma prestação de R$ 4,5 mil e, assim, no mesmo período o gasto chegaria a R$ 928 mil a mais do que o aluguel.

“No entanto, o cenário de juros é muito favorável atualmente no Brasil. Em média, paga-se cerca de 9% de juros sobre o valor financiado. Em compensação, os imóveis têm tido uma valorização de 15% ao ano. Então, compensa comprar financiado”, analisa Marcelo Prata, fundador e CEO do Canal do Crédito.

Outro fator que pesa a favor dos financiamentos é em relação ao comprometimento das parcelas na renda mensal do consumidor. Isso porque, em alguns casos, o valor do aluguel pode superar o do financiamento, sendo que o imóvel alugado não será propriedade do inquilino.

“Isso vai depender do valor da entrada que a pessoa der no financiamento. Nesta modalidade, as prestações são corrigidas pela TR [taxa referencial], com uma variação muito pequena, e os valores caem com o passar do tempo. Já os aluguéis são reajustados pelo IGP-M [Índice Geral de Preços – Mercado] e ficam mais caras com o decorrer dos meses. Pensando assim, o financiamento é melhor”, completa Prata.

Os custos extras de cada modalidade também devem ser considerados no momento de se fazer uma opção. Com o financiamento, é preciso desembolsar mais dinheiro para arcar com escritura (ITBI), taxas administrativas (vistoria, contratos) e impostos, que podem representar 4% do valor do imóvel.

Segundo especialistas, o atual cenário de juros é muito favorável no Brasil, o que contribui com quem optar pelos financiamentos

No aluguel, os trâmites administrativos, como certidões, significam o equivalente a um mês de locação a mais, o que o torna mais atraente financeiramente.

Em geral, na opinião dos especialistas, as duas modalidades exigem atenção. Comprar ou alugar um imóvel requer planejamento e metas para não gerar problemas financeiros.

“Alugar um imóvel e guardar o dinheiro para comprar à vista ou ainda viver num imóvel alugado o resto da vida e ter dinheiro para viajar, passear, ou dar outro destino a ele também é uma boa opção. Habitação é ter onde morar e como pagar. Seja alugado ou próprio”, finaliza Quintanilha.

Veja os prós e contras de alugar ou financiar um imóvel:

Aluguel

Prós
– É possível morar em um imóvel com localizações e padrões que seriam inacessíveis caso optasse pela compra;
– Caso precise se mudar, é mais fácil encerrar o contrato de aluguel do que colocar a casa à venda;
– O dinheiro usado para pagar as altas taxas de financiamento pode ser investido em opções que agradem o morador e lhe deem mais qualidade de vida;
– O inquilino tem, garantido por lei, o privilégio de ficar com a casa no caso o proprietário decida vendê-la;

Contras
– Reformas – é preciso da autorização do proprietário para fazer qualquer tipo de alteração no imóvel;
– Não há garantia de estada permanente no imóvel. Caso precise utilizá-lo, o locador pode pedir a saída do inquilino;
– Todo o ano a taxa de aluguel sofre reajuste, o que pode pesar no bolso do morador;
– Não há prazo para deixar de pagar o aluguel. O imóvel não é do inquilino;
– Para alugar uma casa é necessário encontrar um fiador ou pagar caras taxas de seguro-fiança;

Financiamento

Prós
– No fim do contrato, o morador se torna proprietário do imóvel;
– Caso passe por problemas financeiros, o proprietário pode vender o seu imóvel para conseguir mais dinheiro. O imóvel se torna uma garantia;
– Os gastos fixos na parcela facilitam o orçamento mensal;

Contras
– Os juros podem dificultar o orçamento mensal e tornam o imóvel mais caro do que ele realmente é;
– Ao financiar, o proprietário ainda tem que arcar com custos de escritura, RGI e outras taxas;
– Para financiar com boas mensalidades, é preciso economizar bastante para dar uma boa entrada;
– Se a pessoa muda o local de trabalho, fica mais difícil para mudar para perto, como faz quem mora de aluguel.

Fonte: Revista ZAP Imóveis

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s